Curiosities

 

Separei algumas das muitas curiosidades do meu quotidiano que eu achei interessante partilhar. Estas práticas sem dúvida diferenciam uma cultura da outra, mas é exactamente aí que está a beleza do mundo.

 

●  O alarme indicativo de desastres e catástrofes 

A função do alarme é de alertar as pessoas sobre qualquer tipo de perigo, caso ele toque no dia ou hora fora do normal. O alarme toca sempre na primeira segunda-feira do mês exactamente ao meio dia, este é acionado por pouco mais de um minuto de experiência. A minha primeira reação ao alarme foi  de “susto”  hahaha porque faz muito barulho mas é por uma boa causa.

 

 ●  A Pontualidade pelos olhos dos holandeses 

Os holandeses são extremamente pontuais, a pontualidade aqui é vista como uma forma de respeito pelo outro e ao mínimo atraso consideram falta de interesse e de consideração mas cá para nós, é mesmo isso porque ninguém gosta de esperar. Então fica aqui a dica, se algum dia tiverem um compromisso com holandeses, faça o favor de chegar a horas!

 

●  As casas na Holanda

As casas na Holanda são lindas, tem janelas enormes, algumas tem jardins e outras não mas, o mais interessante é que os holandeses não põe cortinas em suas casas, e quando o sol se põe, acendem as luzes e de fora dá para ver toda a decoração da casa e é realmente muito giro! As casas são na sua maioria decoradas ao pormenor com vasos de flores naturais, velas, candeeiros, quadros, etc. A iluminação  das casas é quase sempre bem discreta ajudando a tornar o espaço mais aconchegante. Falar de casa para os holandeses é falar de conforto.

Ahh outra coisa… ainda não vi um bidê cá na Holanda hahaha, é sério!!

 

●  Sem rodeio

O povo por cá é bem directo, literalmente sem rodeios. Aqui um não é um não e ponto final. Para quem não está habituado até parece mal ou mesmo rude mas é assim que os holandeses vêem as coisas. Para os nativos dos Países Baixos o melhor é serem directos que assim ninguém perde o seu tempo e tempo é dinheiro. Acho bem!

 

  Os Museus

Existem mais de 900 museus em toda a Holanda, desde o Museu de Amsterdam (amsterdammuseum.nl) Museu do diamante, Museu do sexo, Museu Van Gogh (vangoghmuseum.nl), Museu das malas, Museu Rijks (rijksmuseum.nl), Madame Tussauds (madametussauds.nl), Museu do Nemo (nemosciencemuseum), Museu do Queijo  e por aí vai. A lista é longa mas, a verdade é que por cá museus é o que não falta, ainda bem que é assim porque conhecer as histórias de outros povos possibilita-nos a perceber  melhor o mundo em que vivemos, a aceitarmos e a respeitarmos as diferenças existentes.

 

●  De drop

Doce que de doce não tem absolutamente nada. Bem, drops são gomas geralmente de anis ou regaliz mas também conhecidas como liquorice ou licorice.  São normalmente doces e salgadas… sim, isso mesmo! Acho que já dá para imaginar o quão horríveis são né? hahaha. Lembrando que esta é a minha opinião pessoal, não me vou surpreender se alguém me disser que adora drop. Até agora ainda não conheço ninguém!

LRM_EXPORT_20180207_190114

 

●  Pedalar

Mais ou menos 50% dos  holandeses pedalam quase todos os dias, não importa se está a chover ou a nevar. Quando eu vi isso, eu pensei… não há necessidade para tanto né? mas porquê isso? se cá há transportes públicos tão eficientes o tempo todo. Sério, não cabia na minha cabeça até que me apercebi que o pedalar ou o andar de bicicleta está muito enraizado que chega a ser impressionante. Que faz parte da cultura holandesa isso ninguém pode negar mas só para terem uma ideia, as crianças antes de começarem a andar já tem uma bicicleta, é como se fosse um triciclo mas sem pedal e de madeira, é mesmo para estimular a criança a andar, a ganhar equilíbrio e a tornar-se mais confiante. Na Holanda todo mundo tem uma bicicleta em casa, outros até duas ou três, mas a verdade é que a bicicleta cá é vista como um meio de transporte sustentável que ajuda as pessoas a deslocarem-se de A para B  como ir às compras, à escola,  ao trabalho ou mesmo para dar um passeio mas também é muito mais fácil andar de bicicleta nas grandes cidades como Amsterdam e Rotterdam porque de carro é super difícil de estacionar e o parque é um absurdo de tão caro que é!  Aqui toda gente pedala sem exceção, sim, eu disse “toda gente” independentemente do estado civil, género, idade, religião, riqueza, côr, etnia, etc. Diariamente esbarramos por aí com , idosos, grávidas, adolescente, executivos incluindo ministros e até mesmo a família real.

Mark Rutte (primeiro-ministro na Holanda) desde 2010 

55e78cc2b02d8e333fe9d9ddef86eb651318463593.jpg

Vou deixar aqui mais uma dica… se cá vierem e quiserem andar de bicicleta, aconselho-vos a irem ao Vondelpark (fica mesmo no centro de Amsterdam) é muito mais tranquilo acreditem em mim porque andar de bicicleta nas ruas de Amsterdam é de louco hahaha.

Fica a dica !!

https://youtu.be/pqQSwQLDIK8

 

●  Os costumes e etiquetas 

Os holandeses geralmente não gostas de visitas inesperadas e sejamos sinceros, ninguém gosta. Nos dias de hoje com tanto meio de comunicação chega a ser um pouco chato chegar sem avisar. O ideal é avisar com antecedência com certeza que será bem vindo e bem recebido. Os holandeses tem o costume de servir as visitas café ou chá assim que elas chegam à casa acompanhado de bolachas ou biscoitos. Quando vão visitar alguém levam sempre um miminho, de muito pouco valor monetário porque o importante é a intenção e normalmente é  algo muito simples, sejam flores, chocolates, bolachas, etc. Os nativos dos Países Baixos adoram enviar cartões para amigos, familiares e até vizinhos em várias ocasiões: aniversários, casamentos, nascimentos de algum bebê da família, aniversários de casamento, falecimentos, graduações, para agradecer por algum convite, pela compra da casa nova e até para quem acabou de entrar na reforma. Eu acho isso um máximo e muito querido da perte deles!!

 

Papadag

Em português significa o dia do pai. É geralmente uma vez dia por semana em que o pai tira a folga no trabalho para ficar com seu filho, dando assim uma tempo livre à mãe para fazer o que ela quiser sem se preocupar com a criança. Neste dia ela pode sair com amigas depois do trabalho, pode tirar o dia só para ela, pode vêr um filme, pode ir as compras, de entre outras coisas. Este conceito surge para que o pai e os filhos fiquem mais próximos, ajudando assim a fortalecer os laços entre eles. Normalmente o papadag acontece às quartas-feiras porque é o dia em que as escolas deixas as  crianças saírem mais cedo e depois da escola já tem o tempo livre para passarem o resto do dia juntos. Algumas empresas incentiva os seus trabalhadores a aproveitarem esta fase e muitos pais já começam com esta prática quando a criança é bem pequena até aos seus nove ou dez anos de idade.

● O Governo

Assim como a maioria dos paises no mundo tem a sua sede na capital do país aqui é diferente, a sede do governo está situada em Haia cidade mais conhecida como Den Haag.

 

● O Leite

Os nativos dos Países Baixos adoram leite, dizem eles que é o leite (e obviamente a alimentação) que os faz crescer e desenvolver a ponto de serem os mais altos do mundo. É muito comum beber um copo cheio leite, comer uma banana ou uma sandes (Boterham = pão de forma fatiado ) à hora do almoço, não vou muito longe porque cá em casa é assim mesmo!  Para mim é complicado adotar este hábito porque eu não gosto de leite… não gosto e sinceramente, não é porque vivo cá que tenho que seguir à risca todos os hábitos dos nativos né?

Nas prateleira de leites e yogurtes em supermercados encontra-se uma grande varidade de leite e em diferentes tamanhos como : o leite de manteiga (karnemelk), leite integram (volle melk), leite biológico (biologische melk), leite semi-desnatado (half-volle melk), etc. Os tamanhos variam entre os 500ml a 2L.

 

● O Parto

As mães na Holanda podem optar pelo parto normal ou natural e não só, elas também podem optar por ter o bebê em casa ou no hospital, desde que seja sempre acompanhada por uma parteira para garantir a segurança de ambos.

 

A Religião 

A maioria dos holandeses são ateus e acreditem ou não, muitas igrejas cá na Holanda com o passar do tempo são transformadas em discotecas, escritórios, livrarias, bares, cafés, museus,  residencias, etc.